Confiar sem entender

Confiar sem entender

“Confia” ela me disse.

Eu respondi: “Confiar no que?”

E nesse momento eu percebi que não estava confiando.

Quando você precisa saber no que está confiando, você não está confiando.

Quando você precisa entender, você não está entregue.

Eu desenvolvi na minha vida uma necessidade enorme de entender as coisas.

Isso é legal porque me faz questionar muita coisa e não aceitar porque “a vida é assim mesmo”.

Mas é difícil viver tentando entender tudo. Porque muitas coisas não são compreensíveis pela minha mente racional limitada.

Sou racional, mental, virginiano. E eu sofro com isso.

A vida é muito maior que podemos imaginar. Existem milhões de variáveis e complexidades que tornam esse aprendizado infinito. Se eu tentar entender tudo, muito provável que eu vá sofrer. Simplesmente por falta de capacidade de entender.

Outro dia fui ajudar um amigo a entender o manual de instruções de um equipamento que ele tinha comprado.

Não consegui entender quase nada.

Aí falamos: “Ah, liga na tomada e testa.”

Confiamos. E funcionou. Mesmo sem entender direito.

Aliás, a eletricidade é algo que eu não entendo direito. Nunca consegui entender direito como a luz chega na minha casa, como é gerada a energia e toda a cadeia de abastecimento. Mas eu sei que se apertar o interruptor, a luz vai se acender.

Eu confio.

Semana passada plantei umas mudas na minha horta.

Eu não sou especialista e nunca entendi direito o mecanismo da vida na natureza. Mas eu sei que alguma coisa está acontecendo embaixo do solo. E na semana que vem, quando voltar para ver as mudas, elas vão ter crescido.

Eu confio.

Hoje o dia amanheceu nublado. Eu não sei direito de onde vem as nuvens. Nunca entendi muito bem o movimento do clima. Acho que nem o homem, já que ninguém sabe se vai chover amanhã ou não.

Mas eu sei que o sol vai sair em algum momento.

Eu confio.

Eu já levei rasteiras da vida. Quando achava que tinha o controle, a vida veio e embaralhou todas as cartas. Eu achei que fosse morrer, que fosse ficar sozinho, que fosse morar na rua, que fosse passar fome. E nada disso aconteceu. Eu continuo vivo aqui.

Por isso eu confio.

Porque eu sei que tem algo maior por trás de tudo. Existe uma inteligência por trás de tudo o que nos acontece.

E quando eu duvido, minha vida trava.
Quando eu fico tentando entender, eu não estou confiando. E aí crio resistência e a vida não flui.

E quando eu confio, a vida se desdobra de uma forma incrivelmente mágica.

A magia existe. Você pode chamar de magia, milagres, bençãos, sincronicidades ou mesmo coincidências. Tanto faz. Mas elas existem.

E essa magia somente acontece no espaço que você dá ao confiar sem entender. Ao se entregar sem questionar. Ao aceitar sem resistir. Ao seguir o coração sem colocar a mente na frente.

Você não precisa entender porque está passando pelo que está passando.

Talvez você entenda depois. Talvez nunca entenda. E tudo bem mesmo assim.

Porque tudo está acontecendo como tem que acontecer.

E daqui a pouco o sol volta a aparecer.

Porque eu sei que ele está lá.

Mesmo sem enxergar…


Texto dedicado à minha amiga Patricia Soubihe que me ensina a confiar…

POST YOUR COMMENT

Your email address will not be published.